Estágio do Personalismo afetividade na educação infantil (Wallon)

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO PRONTO

Apostila com todas as teorias de Henri Wallon AQUI

Todas Teorias de Wallon

O estágio do personalismo, segundo  Wallon, vai dos 3 até aproximadamente os 6 anos de idade, a criança é mais voltada para si, buscando o enriquecimento do “eu” formando sua personalidade. De acordo com Nogueira; Leal (2015, p.199) “ O que antes era a diferenciação da imagem do corpo com suas partes e totalidades agora passa a ser a consciência corporal como condição para a tomada de consciência e para a diferenciação eu-outro”. O estágio personalismo é marcado por oposições, inibições, autonomia, sedução que contribuirão para formação do eu.

Segundo Wallon, essa transição do estágio sensório-motor para o personalismo” exige uma alternância de função, uma subordinação da função da inteligência, para que predomínio da afetividade possa, neste momento do desenvolvimento, emergir e orientar o processo de constituição da pessoa”. Nessa fase do desenvolvimento a criança terá conquistas, porém terá muitos conflitos e contradições que surgirão ao longo do desenvolvimento.
Ainda segundo Nogueira e Leal( 2015, p.199) “Uma das primeiras mudanças desse novo estágio é a utilização dos pronomes para se referir a si própria: se antes a criança se referia a si mesma na terceira pessoa, agora ela passa a fazer uso da primeira pessoa, o “eu” e o “mim”, o que nos mostra uma evolução na linguagem como o início da consciência de si, de seu processo de busca de afirmação e diferenciação. Da mesma maneira, o possessivo ‘meu’ fixa nas coisas direitos duradouros, prerrogativas ou pretensões do eu”.

O estágio do personalismo e marcado por três grandes momentos distintos:oposição, sedução e imitação. 



Oposição, a criança sente o prazer de confrontar e contradizer. “ É para afirmar o eu e tornar seu ponto de vista pessoal dominante e exclusivo que o movimento de oposição do outro assume características de confronto e de negatividade”.( Bastos; Dér, 2005, p.41)
Sedução, a criança quer ser admirada, sentir que agrada o outro. “ A criança tem a necessidade de ser prestigiada, de mostrar que tem qualidades a ser admiradas, ou melhor, de se mostrar no que ela acredita poder agradar aos outros para obter exclusividade de atenção”. ( Bastos; Dér, 2005, p.42)
Imitação, a criança começa a querer ter as qualidades dos outros. “Personagens são criados a partir das pessoas que a criança admira e deseja suplantar, apoderando-se de suas qualidades e méritos, uma necessidade de autossubstituir os outros”. Esse processo ocorre por meio da imitação.
Referência

TCC sem drama
Nogueira,M; Leal,D. Teorias da aprendizagem: um encontro entre os pensamentos filosófico, pedagógico e psicológico Curitiba 2015

O artigo foi útil faça uma doação para o site


Comentários